terça-feira, 9 de junho de 2009

Final triste da novela dos Ccs*

Wilame Prado Pelo que parece, a novela dos Cargos Comissionados (CCs) na Câmara Municipal de Maringá teve seu último capítulo na quinta-feira, desbancando as tradições novelísticas globais, em que o derradeiro final ocorre na sexta-feira, com reprise no sabadão. E, diferentemente das “Pedra sobre pedra”, “Roque santeiro”, “A próxima vítima” e tantas outras novelas que o brasileiro conhece bem, a novelinha dos vereadores maringaenses não teve final feliz. Bem que eles tentaram mascarar suas baixas intenções aumentando o corte de cargos e dizendo que a economia seria o bastante, mesmo com o acréscimo da verba mensal de gabinete. Os vereadores até que encenaram bem, mas não ganharam prêmio algum por atuação. O júri, composto pelos maringaenses, não aprovou o roteiro e não vai deixar barato essas cachorradas internas da Câmara, pelo menos assim eu espero. Acredito numa mudança de postura daqui pra frente por parte dos maringaenses e também dos vereadores. Os engravatados eleitos pelo povo, ao final dessa fatídica novela dos CCs, começaram a enxergar que, se quiserem continuar com as malandragens, pelo menos terão de tomar cuidado e fazer mais escondidinho. E os maringaenses, por sua vez, passaram a acreditar mais em seu potencial de mudança no cenário político. Tudo bem que o final da novelinha não foi nada feliz, porém, seria mais grave ainda se o primeiro projeto da Câmara fosse aprovado, o que tiraria apenas 18 CCs. Olhando para trás, é realmente vergonhoso saber que a novelinha, ou melhor, a novelona, durou cinco meses na Câmara. Quase meio ano para resolver um assunto que nem deveria entrar em pauta, pois é muita sacanagem contratar pessoas para não fazer nada e com o dinheiro público. Mais uma lamentável página vai ficar na história da política coronelista que existe em Maringá. Todos nós sabemos, mas poucos querem falar que, na verdade, quem manda na cidade do Parque do Ingá é uma meia dúzia de pessoas, com sobrenomes iguais, e que não pensam jamais no bem comum. Não podemos nos deixar enganar com as aparências das obras inauguradas sem funcionamento ou com as cores chamuscantes de uma Academia da Terceira Idade a cada esquina. Existem coisas erradas acontecendo diariamente nos porões políticos da prefeitura e da Câmara, e é só por meio da fiscalização de cada maringaense que as podridões vão acabar. A novela dos CCs teve seu fim, mas virão outras e mais outras, sobre outros assuntos. E o protagonista, aquele que nunca morre no final e que casa com a moça mais bonita, deve ser o maringaense, sempre. Chega de participar da novela apenas como meros telespectadores passivos, em que, mesmo vendo a merda toda acontecendo, logo se esquece, numa burra amnésia coletiva, ao trocar de canal ou ao assistir a mais uma propaganda de cerveja. *Crônica publicada dia 9 de junho na coluna Crônico, do jornal O Diário do Norte do Paraná