terça-feira, 14 de abril de 2009

Carta aos irmãos Dias*

Wilame Prado Excelentíssimos senadores da República, Alvaro e Osmar Dias: estou prestes a me formar como jornalista e tenho por objetivo ajudar de alguma forma nosso País, relatando os fatos decorrentes do nosso dia-a-dia, com o mais profundo apreço pelo povo brasileiro. E, venho por meio deste singelo texto, discorrer sobre algumas notícias que me deixaram preocupado nos últimos dias. Tenho notado que, talvez pelas manchas existentes na lida de um bom número de ovelhas negras do meio, o jornalismo tem perdido o prestígio com o passar dos anos. Não bastasse o eventual desejo de alguns em acabar com a obrigatoriedade do diploma em nossa profissão, fico sabendo que a Diretoria Geral do Senado está atrapalhando o trabalho de alguns colegas jornalistas, pedindo ofícios para o envio de perguntas e ainda prazo de até cinco dias para que os senhores senadores respondam. Em momentos como este, em que corrupção e demagogia são as primeiras palavras que vêm à cabeça da maioria das pessoas quando o assunto é política, o Senado fica ainda mais desprestigiado tomando uma decisão antidemocrática como esta. Não queremos esperar por quase uma semana para ter conhecimento do que os senadores, eleitos pelo voto popular, estão fazendo em prol, ou muitas vezes contra, os brasileiros. E, tendo conhecimento de toda a burocracia que existe para se conseguir uma resposta via e-mail de qualquer que seja o representante político deste País, achei ser esta a melhor maneira de expressar minhas angústias diante do cerco que os políticos estão armando para os profissionais de jornalismo. Sei que todo mundo erra e sei também que não existe jornalista santo, mas tenho a opinião de que as generalidades são quase sempre burras. Portanto, peço, encarecidamente, que me digam o que pensam sobre a proposta de se acabar com a obrigatoriedade do diploma e sobre esse novo processo burocrático criado no Senado, que tende a afastar ainda mais os jornalistas e a população da Câmara. Serei ético o suficiente para aguardar, até a crônica da semana seguinte, uma resposta dos senhores. O e-mail de contato está ali em cima, mas reforçarei aqui: pradowil@gmail.com. Mas, sabendo o quanto a vida dos senhores é corrida, já ficarei grato se, pelo menos, nos artigos escritos pelo senhor Osmar em O Diário ou então pelas diárias postagens que o senhor Alvaro faz em seu blog (http://www.blogalvarodias.com/) haver alguma resposta acerca desses fatos deprimentes que estão acontecendo e que vêm reforçando a decadência da profissão de jornalista neste País. Na crônica da semana que vem, prometo aos leitores publicar as respostas dos senadores ou então, infelizmente, ter de comentar um possível, mas não esperado, silêncio de nossos representantes políticos. *Crônica publicada dia 14 de abril na coluna Crônico, do jornal O Diário do Norte do Paraná

4 comentários:

Isabella Araújo disse...

Wilame, a sua iniciativa de escrever essa crônica é muito importante, você já está fazendo a sua parte para melhorar o nosso País.
Estou na torcida para que haja a sanção da Lei de Imprensa.
Abraços!

Fabio Chiorino disse...

duvido que respondam. Mas a provocação é válida. Abraços, Wilame!

Anônimo disse...

Porque não publicar a resposta?
Já é tempo de publicar. Ou não houve resposta?
Não acredito, sei que o Alvaro Dias responde tudo.

Anônimo disse...

Li no blog do senador alvaro dias a resposta. porque não está publicada aqui?

Soraia