terça-feira, 8 de julho de 2008

Seis meses sentados na Poltrona

Wilame Prado Certo dia, deu-me aquela vontade de se expressar por meio de palavras. Idos 2004, acho. Lembro-me que, carente de idéias, conceito e gramática, simplesmente relatei uma noite aprazível que passei com amigos no boteco. Mais tarde, viria a ser meu primeiro conto: Charutos. De lá para cá, não parei mais de escrever. E percebi que, a cada dia vivido, e a cada releitura do que havia escrito outrora, na verdade, sentia que poderia ter escrito melhor. Este é um caminho que as pessoas que gostam de escrever têm de passar, e talvez eternamente: a auto-cobrança; a busca pelo texto perfeito, que agrade aos críticos e aos leigos. A cada nascer do sol, percebo que Georges de Simenon (1903-1989) estava certo ao afirmar: “...Escrever não é uma profissão, mas uma vocação para a infelicidade." Por raros momentos, o escritor fica feliz quando gera um texto, ao ver seu nome logo acima, em de repente saber que pessoas leram e gostaram, ou odiaram, mas, tudo passa, tudo passará... Logo vem a necessidade, quase que vital, de escrever outro texto e assim ir vivendo, nunca satisfeito. Com esse novo meio de comunicação chamado blog, do qual tive o prazer de conhecer e poder desfrutá-lo, nossos textos, ainda que superficialmente, ganham um espaço interativo e interessante. Embora não atualize o blog freneticamente, tampouco respeito os gostos dos internautas, que preferem a objetividade, o sucinto, o que não cansa as vistas e nem dá dor nas costas, continuo tocando esse barco; continuo sentindo prazer em acessar o blog e ver que alguém comentou o texto; continuo tendo prazer de visitar os caros amigos que também seguem na empreitada na blogosfera; simplesmente, continuo... E, se escrevi esse monte de merda acima, foi unicamente para anunciar que hoje faz seis meses que o blog A Poltrona foi inaugurado. Lembro-me daquele 8 de janeiro sem graça, de férias, sem amigo e sem mulher, sem cerveja e sem cigarro por perto, até mesmo sem vento, sem sol e sem chuva lá fora, que decidi abrir o blog, como se abre um bar. Até hoje me debato com a labuta na diagramação, arte que não foi feita para mim. Pudesse eu, escreveria somente e disponibilizaria para alguém mais capacitado ir tocando os htmls, as imagens, as atualizações, enfim. Talvez este seja o post de número 106, creio. Pouco para seis meses. Uma média de menos de 5 postagens por semana. Mas, devo dizer, caros leitores, que sinto muito carinho por esses apanhados de textos escritos neste espaço. Maior carinho sinto pelas pessoas que perdem seu precioso tempo vindo sentar-se nesta poltrona velha, barata, mas de muito conforto, espero.

6 comentários:

Luiz Modesto disse...

Muito bom, meu caro. Do teu "perfil" já se reconhece um sujeito assim, de Poltrona.
Parabéns pelos seis meses.
Continuo com as visitas, já que sempre me agrado com tuas crônicas.
Abraço

Fabio Chiorino disse...

vida longa ao blog. Seis meses que já foram suficientes para ganhar a admiração deste outro humilde blogueiro. Escrever é 3% inspiração e 97% suor e disciplina

Fábio Castaldelli disse...

Grande Prado!! Parabéns pelos seis meses de luta e pelo sucesso do blog! Realmente ser escritor é uma profissão bem difícil pois vira-se escravo dos escritos e em qualquer lugar pode surgir uma idéia, uma grande idéia. Por outro lado, como diz Perboyre Sampaio "Quando um texto nasce,já cumpriu sua principal função,harmonizar a alma de quem o criou". Por essas e outras que escrever vicia e é tão bom, e você meu caro manda muito bem no que faz.

abraço grande
té mais

tiagosp7 disse...

Parabéns pelo blog, acesso a Poltrona há 2 meses e 5 dias aproximadamente hehe.. e fico muito satisfeito, tanto que, não leio mais os textos a qualquer momento, apenas quando estou completamente tranquilo e com a mente livre. Faço isso porque virou um certo ritual ler teus textos, é como uma leitura saudável, o momento leitura da semana. Continue firme nessa caminhada e muitos bons leitores para o blog, que sucesso não é sinônimo de qualidade.. Abração Wil enquanto continuar com a Poltrona eu também continuarei! Até mais!

Alisson disse...

Olá!
Sempre leio sua coluna no jornal O Diário.
Quando procurava, no google especificamente, seu nome, para ver se encontrava mais publicações sua. Adivinha o que achei? Seu blog!

Que por mais adorei!
Como não posso deixar de elr sua coluna no jornal toda quarta, venho agora no blog, todos os dias, para desfrutar de seus maravilhosos textos.

Agradeço muito, pois suas crônicas alegram todas minhas quartas-feira.

Aproveito, sem spam, para anunciar meu blog, simples, mas é meu; meio desatualizado, mais ainda é meu.

hehe
www.palavrasmortas.zip.net
Caso não for tomar muito seu tempo, dê uma passada por lá, ia me sentir lisongeado com um comentário seu no meu mural.

;)

mouse disse...

Meus parabéns meu caro amigo Wilame, nós que temos que agradecer por compartilhar o conforto que sua poltrona nos proporciona! Dentre esses seis meses presenciei por mais que monótona todos seus textos e os comentei. Vivemos experiências incontáveis que apenas você consegue relatar em suas crônicas. Essa é apenas uma das milhares conquistas que você ainda tem a concretizar em sua vida! E como as demais já desbloqueadas, estarei sempre com você...