quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Corrida contra relógio para fazer jornalismo

"Despertador tocando parece britadeira trabalhando. Mesmo assim, perco a hora - ela sempre me foge às mãos. Por conta do atraso, cuspe no canto dos olhos, remela tirada com o dedo, balinha de hortelã e um gole de café antes de sair para entrevistar a doutora, que não tem doutorado, apenas residência. Uma dúvida cruel vem à cabeça: ir de moto ou voando? Fosse São Paulo, poderia pegar engarrafamento de helicópteros; aqui em Maringá, o máximo que pode acontecer é um pequeno choque com pássaros ou macacos voadores do Parque do Ingá. Além do mais, mamãe sempre alerta que andar de moto é perigoso e, ultimamente, motoqueiros têm viajado com certa freqüência ao cemitério..." Quer ler o resto da crônica? Entre nesse link: http://recantodasletras.uol.com.br/cronicas/773906

4 comentários:

J. ROBERTO BALESTRA disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
J. ROBERTO BALESTRA disse...

Wilame, eu é que apaguei o primeiro comentário aí de cima, com erros.

Eis:

Sua mãe tem mesmo muita razão, e imagino que ela nem tenha lido ainda o meu post 'A MOrTOCICLETA', publicado no dia 08.01.08.... abs

A Abiose Maringaense disse...

E aí fera!
Parabéns pelo "SEU" blog, é isso aí, quem quer faz, não espera acontecer, algumas vezes sair do meio da trupe e botar a cara no vento faz bem.
Só um toque:
Se for partir para assuntos polêmicos te aconselho a ativar o moderador de comentários, pode evitar maiores dores de cabeça com a justiça.
Espero que não abandone a trupe, mas te desejo todo o "SUÇESSO" do mundo nesta nova empreitada.

São disse...

Viva!
Gostaria de ler, sim...só que não consegui entrar!
Bom fim de semana...e ouça sua mãe, porque ela está certa!